quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Acerca da paciência em Agosto


Não há nada que mais me irrite do que profissionais andarem a brincar aos índios e aos cowboys!


O "Não porque Não" é um exemplo clássico!


-Isto é viável?

-Não!

-Porque? Como justifica?

-Não...porque não...pode aguardar uns instante?

-Certamente.

-Pois...estive a rectificar uns campos...mas a reposta continua a ser Não.

-Ok. Mas com base em quê?

-Em critérios.

-Quais?

-Critérios de analise.

-Certo. Mas identifique-mos por favor.

-Bom, são critérios mais complexos do que está a querer fazer parecer(?!?!?!?!?! what the fuck!?), mas a resposta é Não.

-...ok obrigada. Coloque por escrito pode ser?

-...o quê!?

-A vossa decisão.

-Mas vou apenas dizer que NãO!

-OOOOOKKKKKAAAAAYYYY!!!


UFFF

Não andei a correr feito índio mas parecia...

Confesso que em contagem decrescente para ir de férias falta-me a "sustança" para me debater até a menina ficar confusa e dizer que sim, para depois me ligar uns minutos depois a dizer que tinha havido um lapso (cerebral está claro!)...e por isso...I let her down easy...


Estou cansada de trabalhar na Negolandia!




Sem comentários:

Enviar um comentário

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!