segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A dificil arte de AMAR


Aqui estou eu, mais uma fez, com a cabeça cheia de sonhos e o coração cheio de angustia.
A cabeça divaga entre as obras de reconstrução de uma nova casa (para solteira) e uma viagem no expresso do oriente de Paris a Veneza ou talvez terminando em Ancara.
O coração cheio de tristezas, frustrações de planos falhados e projectos inadaptados á minha vida , mas que por um motivo ou outro achei certos e chamei até mim.
Agora vivo diariamente o desgosto de ter chamado a mim sonhos que não eram meus…eram dos outros…e houve uma altura que eu quis ser como os outros, apenas para não ser diferente. Com os anos, aprendi que ser diferente não é mau, desde que sejamos fieis à nossa natureza. Com o passar dos anos conheci-me e fui-me aceitando tal e qual sou.
Sou independente e já não sei depender, por muito que, por vezes seja exaustivo não poder contar com mais ninguém, apenas nós próprios e a nossa força, quando pensamos já a ter esgotado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!