segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

EuroHumanoides

Há largos anos que trabalho, aliás sempre trabalhei, nas férias, durante a faculdade etc...e os anos passam mas em nada me relativizam a indignação com que encaro a concorrência desleal e a competitividade insana dentro do local de trabalho.
Chamem-me "Santinha"...mas eu seria incapaz de prejudicar deliberadamente um colega para poder ganhar mais uns trocos...in..ca..paz!

E cada vez que me deparo com esta situação, seja para comigo ou entre os meus colegas fico sempre com vontade de dar um belo par de estalos a quem com a maior "cara de pau" diz: " não atendeu o telefone, fiquei com o cliente para mim...tivesse atendido" (...só para agravar...o dito cliente ligou a  um domingo...nem era suposto estar niguem no escritorio...mas como há muito boa gente que odeia estar em casa porque não toleram a familia... gente infeliz...sei lá).

O que me conforta é que acredito em justiça divina e todos os dividendos colhidos indevidamente irão por fim chegar às mãos de quem com toda a sua bondade, ouviu aquele cretino viciado em euros, e calou para não causar mais desconforto no escritório...
E acredito piamente que o lucro dos negocios que possam daqui advir será certamente inferior à tristeza de não gostar de estar em casa com a familia ou com os amigos...esse é o castigo supremo deste verme.

Francamente...há pessoas sem o minimo de formação, educação e humanidade...seres que no lugar de coração têm maquinas de calcular ciêntificas...

2 comentários:

  1. Quanto à justiça divina não tenho tantas certezas como tu (posso tratar por tu não? parece estranho vir com vocês ou com senhoras depois de ler pedaços de vida ou opiniões pessoais) mas alguém que age assim tem que ter problemas de consciência.

    ResponderEliminar
  2. Flor, claro que podes e deves tratar por tu! Só porque uso anti rugas não me sinto Sra!!

    QUanto aos problemas de consciencia...o grave é que eu acho que não...passeia-se pelo escritorio como se nada fosse e ao que pude apurar...não é a primeira vez! Pior ainda, critica outra colega que pelos vistos é reincidente no mesmo tipo de atitude...
    Isso é que me deixa indignada!!

    Eu posso dizer, de cabeça erguida, que já pedi dinheiro, e já recusei clientes que sabia não ser justo ficar com eles...é uma questão de principio...

    Eu lembro-me sempre de um episodio em que um velhinho simpatico me bateu no carro e eu, maçarica na epoca, não preenchi documentos nenhuns porque ele disse que pagava. QUando lhe liguei a dizer o valor do arranjo disse que não pagava e se eu fizesse queixa à policia dizia que tinha sido eu a bater. E assim me fiquei...2 anos depois, uma sra, bateu-me no carro (que estava estacionado), no mesmo sitio onde estava a batida anterior, veio à minha procura e na hora se ofereceu para arranjar o carro todo!
    Portanto eu acredito em justiça divina...tarda mas nunca falha!

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!