terça-feira, 25 de maio de 2010

Ser ou Estar, eis a questão

Hoje, em troca de mails com uma amiga que anda meio desencantada com o casamento, chegamos a um ponto muito interessante.

A felicidade, tal com a solteirice, são tratados como eventos/momentos limitados no tempo quando deveriam ser tratados como estados de alma.

A maioria das pessoa dizer ser feliz quando na verdade ESTÁ feliz em determinados momentos.

Eu sou da opinião que a felicidade não vem de fora, vem de dentro de nós e não podemos esperar que maridos, filhos, amigos, familias, empregos ou o que quer que seja nos faça feliz...é estarmos a pôr a nossa felicidade em mãos alheias...é muita responsabilidade para deixar a cargo de terceiros...e inevitavelmente num momento ou outro irão falhar-nos...e vamos responsabiliza-los pela nossa infelicidade...e ressenti-los por isso...

As pessoas que o fazem....que dependem de outros para serem felizes...não são felizes...Têm momentos felizes,....vão ESTANDO felizes...que é muito diferente de SER feliz....

Não podemos esperar que sejam os filhos, os maridos, mulheres, amigos, amantes, pais, irmãos a fazer-nos felizes, temos de ser nós a decidir tomar as redeas da nossa vida e ser felizes, nós em primeiro lugar enquanto SERES e não enquanto actores dos papeis sociais que vamos desempenhar ao longo da nossa vida.
Se eu SOU feliz?....sim, sou feliz. Podia ter momentos mais felizes e sentir-me mais realizada? sim, podia, mas isso nada tem a ver com felicidade. Isso diz respeito ao sucesso....factor exterior.
 
Cada vez mais a cultura ocidentalizada tende a medir a felicidade pelo grau de sucesso atingido e aos poucos e poucos vamos confundindo aquilo que arrecadamos com riqueza interior...

1 comentário:

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!