segunda-feira, 27 de setembro de 2010

the survival of the fittest

O meu post acerca da ausencia de perspicacia masculina foi tema largamente comentado no blog e fora dele e portanto, leva-me a fazer uma adenda...

Este tema tem duas vertentes...aquela que visa os deficientes visuais intencionais AKA tipos que veêm o que querem e a outra...tipos que são incapazes de ver/fazer.

Em conversa com varios homens das mais diversas faixas etárias, chego a conclusões altamente desapontantes...

A revolução da posição feminina perante o mundo, veio alterar as posições de poder, e hoje em dia, podemos argumentar que uma mulher pode, pelo menos teoricamente, chegar onde onde chega um homem.

Isto deixou os homens confusos sem perceberem bem qual o seu papel...e a culpa é de todas as femininistas que foram estragar o metodo de cortejamento mais apreciado por qualquer mulher: o cortejar tradicional (aquele incutido a ferro e fogo no nosso subconsciente durante a infacia atraves de repetidas leituras dos contos de princesas e principes encantados) em que o homem tinha a tarefa implicita de se mostrar disponivel para cortejar... ou seja...e traduzindo para o seculo XXI... o homem tomava inciativa...e cada sexo tinha o seu papel perfeitamente delineado...

A ordem das coisas foi perturbada. O equilibrio perdeu-se e hoje em dia, os homens sentem-se intimidados porque estão confusos. Pela primeira vez temos tanto poder quanto eles e por isso, não tomam qualquer iniciativa, o que obriga as mulheres, agora mais desinibidas e seguras, a irem buscar o que pretendem, já que, o que pretendem não as vem buscar a elas...

Os homens, que ao longo dos seculos tomaram as redeas do acasalamento, sentem a sua masculinidade violada e retraem-se...fugindo de mulheres que consideram intimidantes....e contentando-se com uma nova especie que emerge.

Isto está a contecer mundo a fora...

Os homens não vão atras mas também não gostam de ser caçados...é contra natura...

E a grande tendencia que se verifica depois dos 30 é que os homens optam por ficar com aquilo a que eu chamo "meninas assim-assim".

A menina assim-assim, tem menos de 30 anos, e nem é muito inteligente, nem muito burra, nem muito boa nem muito má, nem muito interessante nem muito desinteressante....mas o que melhor as caracteriza é que são Meninas...não são na verdade mulheres...

Não são independentes, mas tambem não são muito dependentes, e sobretudo não têm opiniões muito vincadas acerca de nada porque não está na sua natureza... o resultado de tudo isto é que os homens, podem estar numa relação, assumir um compromisso com estas meninas porque elas não chateiam, e eles conseguem o impossivel: o melhor de dois mundos. Vivem numa relação estavel, mas sem o trabalho de viver numa relação adulta...vivem namoros de liceu, em que a vontade delas é maleavel, tal como a opinião e o espirito.

Sobretudo, as meninas assim-assim, são predilectas porque não chateiam!Esta é a premissa chave!

E a mim é isto que me choca....

A menina assim-assim, tem uma capacidade reflectiva identica a um retrovisor ou qualquer vulgo espelho de WC... e portanto com o tempo ela torna-se o reflexo do namorado/marido.

Claro que a longo prazo, estas relações estão condenadas porque não há nada para as temperar, é como comer comida de hospital, que não faz mal mas tambem naõ sabe a nada...mas a curto medio prazo, é excelente...dá saude e faz crescer...

Se os leitores tomarem atenção, quando os maridos/namorados elogiam as esposas/namoradas dizem sempre: "eu não tenho esses problemas com a Maria, com ela nunca há stress, está sempre tudo bem".

E por isso... as meninas assim-assim, dominam a nossa comunidade masculina, sem dó nem piedade... e em breve dominarão o mundo... e o ciclo completar-se-à quando as meninas assim-assim, permitirem que os seus maridos sejam os unicos provedores do lar e sobretudo os unicos pensadores lá do estaminé.

CONCLUSÃO: quando eu for grande, quero ser, uma Menina Assim-assim.

NOTA ao publico masculino (não posso mudar o mundo mas posso dar uma dica a um ou dois leitores masculinos...cada um faz a sua parte): Por favor não deixem de fazer aquilo cuja programação genetica contempla: caçar...mas façam-nos com conta peso e medida e sobretudo, RESPEITO. As mulheres agradecem e deixaram de correr atrás!!!

5 comentários:

  1. Li este texto por várias vezes e embora concorde que existam desse tipo de indivíduos “que jogam pelo seguro” acho que não se pode generalizar assim tanto.
    Logicamente que não posso falar pelos outros mas eu detesto meninas “assim-assim”.
    Uma menina dessas apenas poderá “servir” para um momento de diversão para que o ego de um homem se possa sentir para cima se for daqueles que tem a fantasia de fazer tudo o que quiser quando quiser sem que tenha uma oposição.
    Mas isso diz-me a experiencia que pode ser interessante no momento mas depois deixa uma sensação de vazio quase que como se um prazer solitário se tratasse.
    Mas voltando ao cerne da questão a caça e a sedução e levando ao extremo o predador.
    É fundamental que exista o espírito de caçador e o jogo de sedução, sem isso não acontece nada que possa valer a pena.
    Mas existe um factor também fundamental que são os sinais da parte feminina de que se pode avançar, aqui também há um problema porque por vezes esses sinais são tão subtis que só o “caçador” que sabe caçar (e isso implica uma certa experiencia ou uma muito boa capacidade de observação) os consegue ver e então passar à fase seguinte.
    Por outro lado o jogo da sedução implica o não existirem planos rígidos e caminhos previamente definidos pois tem que existir sempre uma enorme abertura de espírito bem como a capacidade de dar um golpe de rins e seguir por um outro caminho que leva ao mesmo destino.
    Mas todas estas ideias gerais e técnicas de sedução/caça teem sempre um factor que não é dominado pelo caçador e esse factor é bem simples e já o expressei num comentário anterior, quem decide é a mulher, se quer ou não quer.
    Por muito bom que seja o caçador, por muitas armas de sedução que possa usar, se ela não quiser nada acontece.
    Para rematar a minha experiencia diz-me que caçar não é assim tão difícil, basta saber-se ler o que a caça deseja, e fundamental respeitar como tu dissestes Carrie e também fundamental, não mentir nem inventar, com estes poucos factores tudo é muito fácil, basta haver empenho no que se está a fazer.
    Foram apenas umas palavras resultado do saber de experiencia feito.
    Um beijo respeitador

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Carrie, Tinha ontem acabado de escrever um blog sobre femenismo... E venho eu cuscar o teu hoje e vejo este texto. Magnifico como sempre por sinal.
    Não podia estar mais de acordo.

    ResponderEliminar
  3. Mega...obrigada pelo teu input que não sei se percebest apenas reforça a minha opnião.
    Quanto à generalização, aquilo que te posso dizer é que tive o cuidado de referir que se aplicava aos homsn depois dos 30...ali por essa faixa etaria...certamente que tu, mais experiente e vivido, não terias qualquer tipo de "utilidade" para esta nova especie...que como referes reiterando o que escrevi... serve a curto prazo ...só...

    ;D

    ResponderEliminar
  4. Ola Utena...por acaso ontem não tive oportunidade de cuscar o teu blog, mas lá chegarei! o Femininismo exacerbado é sempre um tema que me interessa...caso não tivessem andado por ai a queimar soutiens eu hoje estaria casada a cozinhar biscoitos enquanto trocava receitas no cha das 5 com as minhas vizinhas e tratava dos filhos, sme ter de pensar duas vezes a cerca da falta de subsidio de desemprego para não seu quantas mil pessoas inscritas e cm o excesso de subsidios atribuidos qu enos estão a matar a economia,c oma subida do iva para 23% e com a possibilidade de ficar sem emprego um dia destes...

    dou lá um pulinho certamente!!!

    Obg pelas tuas opiniões, sempre bem vindas!

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!