quarta-feira, 22 de setembro de 2010

um pedaço de mim

lembro-me tão bem do dia que passamos no rolote dos pais dele, no parque de campismo, na piscina. lembro-me tão bem da adrenalina de andar a 180km e a 200km a pendura na mota...de sentir dificuldade em que os pés se colassem às peseiras...agarradinha ao seu blusão de cabedal que cheirava a um misto de perfume, cabedal e tubo de escape...o que eu adorava o cheiro dele....

lembro-me demasiadamente bem, quando os meus pais me informaram que eu ainda tinha de ir de ferias com eles...era o ano de 1994. eu tinha uns miseros 17 anos. ele tinha 19. ele era o meu primeiro grande amor.

lembro-me dolorasamente bem da ultima vez que o vi, que o toquei. lembro das ultimas palavras que alguma vez me disse: "temos muito tempo"....

a ironia destas palavras, ainda hoje, tantos anos depois me traz as lagrimas aos olhos, embarga-me a voz e aperta-me o coração.

uma semana depois, estava no sul de espanha com os meus pais...passei inexplicavelmente, o dia a chorar compulsivamente.... desde o inicio da tarde até à hora de jantar...e o unico conforto que encontrei...ironicamente foi no album dos Queen...na musica "who wants to live forever"....
nos dias seguintes sentia-me angustiada e morta de saudade.

lembro-me como se fosse hoje, da unica vez que na vida que estive em estado de choque.... clinicamente ém estado de choque...lembro-me de estar a tirar da mala aquele vestidinho curto cor de rosa choque que havia comprado para ele, porque ele adorava ver-me de vestido...e no preciso momento que o coloco no cabide...ouço a campanhia....passos pesados, apressados, escadas acima rumo ao meu quarto, a porta abre-se e a minha melhor amiga diz-me sem aviso e com a cara lavada em lagrimas: " o E. morreu"....

o meu mundo parou por muitas horas das quais não tenho qualquer memoria.... recordo-me apenas de me agarrar ao vestido e depois...nada...

e só me ocorria: " temos muito tempo"....

12 comentários:

  1. Há histórias de amor assim...tristes, mas são histórias de amor e os momentos felizes perdurarão.
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Uma sugestão musical, Carrie: Nothing really ends - DEUS.

    Um bom dia para si ))

    ResponderEliminar
  3. É verdade querida Sofia... são partes de nós que ficam gravadas para sempre nos nossos corações.

    BJ

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Salvador! Irei investigar!

    Um grande bjinho

    ResponderEliminar
  5. Até me arrepiei!
    São aqueles momentos da vida que "nos tornam mais fortes"
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Tati...não sei se fiquei mais forte,mas sei que me mudou...cá dentro...
    Não sei se seria mais ou menos forte se não tivesse sido confrontada com esta realidade aos 17 anos...
    Mas, sei que sou quem sou hoje, resultado de tudo o que vi, incluindo 1994...com o bom e mau.

    obrigada!
    BJOOOO

    ResponderEliminar
  7. Meu Deus ...fiquei sem palavras....um beijinho e já agora STICK TO GOOD MEMORIES,,,,beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Impressionante!! São estas coisas que nos fazem crescer e tornar mais fortes.

    ResponderEliminar
  9. São memórias e sensações que nos marcam para toda a vida devendo nós tirar ou tentar tirar a parte positiva e não a negativa.
    Um dos ensinamentos recorrentes que se pode retirar é um bem antigo "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje"
    Beijo de apoio

    ResponderEliminar
  10. Obrigada Fuschia!
    Foi duro...mas tantos anos depois...é o que tento fazer... recordar o seu sorriso e os bons momentos...

    ResponderEliminar
  11. É isso Nokas...fez-me crescer, sem duvida...mudou-me...pra sempre...à força...Nesta idade não temos ideia da nossa mortalidade...nem sequer pensamos sobre o assunto...

    Digo-te que passei muito meses...mesmo muitos a esquecer-me por breves instantes durante o dia...que isto tinha de facto acontecido...lembro de cada vez qu eouvia um mota igual por uma fracção infima de tempo pensar: "será que é ele"...e depois levava aquele grande soco no estomago com o pensamento seguinte. "nunca mais o irei ver nem ouvir"...

    ResponderEliminar
  12. Mega, neste caso não houve ensinamentos positivos...acho que o universo me poderia ter poupado a lição da mortalidade pelo menos mais uns anitos não?

    A partir deste evento devo ter ficado mais.... fria, ou distante não sei...seiq ue a minha mae começou a dizer-me com frequencia: "não percebo o que aconteceu aquela miuda doce que era aminha filha"...

    O mundo deixou de ser cor de rosa, durante muitos anos...porque este evento me levou a comportamentos...bom, que preferia não ter tido...e é por isso que hoje em dia tento ser sonhadora e cor de rosa, porque faz parte de mim...e não me quero voltar a perder...seja p or que motivo for...

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!