sábado, 13 de novembro de 2010

The heart wants what the heart wants

Depois de uma tareia maritima em Peniche...finalmente em casa, finalmente quente depois de um banho escaldante, um copo de tinto e uma pasta temperada com parmesão e mangericão, terminando com umas belas castanhas assadas...ahhhhhhhh


E com tudo isto...a minha cabeça continua centrada onde bate o meu coração... sabendo que não pode, não deve...
...sabendo que NADA...posso fazer...não posso lutar, não posso jogar, não posso implorar...

Ahhhhhhhh...talvez seja o copo de vinho, o cansaço ou a tensão pre menstrual a falar...who knows....

Meus Deus...que saudades.... que saudades IMPLACAVEIS.....

3 comentários:

  1. Já me aconteceu, claro! Uma amiga disse-me que sempre que me apetecesse ligare-lhe para lhe ligar a ela. Não lhe liguei nem a ele nem a ela, mas saber que ela estava ali ajudou :) A chegada da noite não ajuda e os amigos são a melhor companhia nessas alturas! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. A saudade e a vontade de se ter o que por alguma razão não se pode ter é mesmo tramada e por vezes o vinho ajuda a soltar o que realmente temos dentro de nós.
    Mas por outro lado tambem faz com que tenhamos connsciencia da chamada impossibilidade.
    Compreendo muito bem a tua sensação pois tambem já a tive não com contornos iguais mas no fundo com a mesma sensação de impotencia.
    Não é facil passar mas com o tempo passa embora de vez em quando bata à porta mas vai batendo de um modo mais suave ao longo do tempo.
    Uma dica:
    Desabafa ao vivo e a cores com alguem que saiba ouvir e que não faça juízos de valor.
    Beijo de apoio

    ResponderEliminar
  3. Deixa o coraçao levar o seu tempo a sarar amiga. As feridas deixam marcas mas eventualmente deixam de doer.
    Beijo

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!