terça-feira, 4 de janeiro de 2011

the dangers of illusion and disappointment

A dimensão da desilusão provocada por uma só pessoa varia na mesma razão da quantidade de ilusão que nos permitimos em relação a essa mesma pessoa...

Com os anos, aprendi a nunca esperar nada de ninguem....regra geral... não me desiludo....faço o mesmo com Portugal...como não espero nada e vivo perfeitamente desligada das ditas "actualidades"... já pouco ou nada me surpeende ou desilude...

Com as pessoas não é tão facil, mas não é impossivel... salvo, uma unica excepção: é humanamente impossivel apaixonarmo-nos por alguem sem criar algum tipo de expectativas...ainda que possam parecer mediocres a quem está de fora...para quem as cria...a queda causa a mesma dor de uma full blown ilusion.

Esperar que alguem nos telefone ou se preocupe connosco e ver essa expectivativa estilhaçada hora após hora, tem o mesmo impacto do que esperar um amo-te e ouvir silencio...doi no mesmo sitio... naquele sitio onde o coração salta os compassos...

E de vez em quando....de longe a longe...à media de 10 em 10 anos....permito-me ser levada por alguma restea de cor de rosa que ainda não se converteu ao cinismo e sonho...claro que o resultado é sempre o mesmo.... é que acontece quando colocamos a nossa felicidade em mãos alheias...

Eu defendo cheia de convicção que a nossa felicidade nunca poderá depender de factores externos, e regra geral...99% dos dias vivo por este principio... excepcionalmente e para comprovar a regra, crio ilusões, expectitivas e coloco o meu delicado coração e a minha fragil alma, ou partes, nas mãos de alguem que me permito acreditar ser diferente.... não sei porque o faço....mas faço-o....

O desenlace é sempre, mas sem excepção...a minha desilusão seguida de uma ou varias sessões de auto flagelação para ver se fica gravado na minha mente emocional...que a minha felicidade depende de mim...e principes não existem.... I should know better than this, but the child in me tends to give the world of man endless chances to redeem itself...for that brief dream, that....dreams do come true....

4 comentários:

  1. E começamos a gostar muito mais do nosso lado racional. Independentemente de tudo, tem um óptimo ano! Daqueles que mudam tudo!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. A nossa felicidade só depende de nós próprios, não há volta a dar!!
    Bom Ano Carrie :)

    ResponderEliminar
  3. Terei que concordar em absoluto que o grau de desilusão é sempre função das ilusões que se possam criar.
    Mas tenho que discordar com a auto-flagelação aó sim completamente.
    Acredito sim na aprendizagem porque a auto-flagelação não leva a nada, digo-o por experiencia própria.
    Vai em frente miuda e vê o passado como uma aprendizagem apenas.
    Beijos a olhar em frente

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!