segunda-feira, 25 de julho de 2011

Depois da Tempestade... vem o quê?

Tomei uma decisão contra-natura.

A decisão de não tomar decisões....
Para quem, como eu, sofre por antecipação e gosta de tudo certo e definido...isto é uma tortura, mas em simultaneo permite-me alguma tranquilidade interior. Está tomada a decisão de não fazer absolutamente nada.

E refiro-me a tudo. À minha vida profissional e à minha vida emocional ou privada.

Não há solução que me agrade à vista, para qualquer um dos sectores, as alternativas em qualquer dos casos são extremistas e absolutas, pelo que...parei o abrco, desliguei os motores e durante tempo indefinido, vou ver onde a vida me leva... Há que aceitar que há coisas que estão fora do nosso controle... e aquilo que podemos controlar efectivamente pode nem alterar o panorama geral, por isso, para que everedar esforços quando o resultado não será diferente nem sequer o desejado.... vamos aguardar, pode ser que as permissas mudem....já que o tempo é um optimo conselheiro...e daqui a uma quantidade de tempo aind apor definir, volto a reapreciar os dados das questões para saber se está ou não na hora de tomar posições.

Eu sou uma pessoa de decisões difinitivas.... tambem sei que sou muitas vezes implusiva, especialmente na minha vida particular já que na vida profissional não em posso dar ao luxo... por isso...como dizia uma granda amiga minha: calma, descontração e estupidez natural.... pareceu-me, face às alternativas, ser um lema a adoptar...
Aderir ao movimento slow down da tomada de decisões...

Se não gosto do que faço mas ainda não apareceu anda melhor, o sensato é dar graças a Deus de ter emprego e ficar quietinha... ainda que sem qualquer tipo de motivação ou sequer satisfação.

Se não gosto para onde caminha a minha relação e a alternativa, à falta de melhor, é termina-la, mas isso iria trazer-me dor que posso perfeitamente sentir depois porque será igual...pois bem.... é isso que farei...

E assim, aqui ando eu, contra-natura.... a tentar respirar tranquilamente sem fazer ondas em tempos de tempestade.

2 comentários:

  1. Difícil mas acaba-se por conseguir...
    One step at a time...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. sofrer por antecipação é horrivel. ás vezes é mesmo necessário deixar as coisas tomarem o seu próprio rumo, concordo contigo, muitas vezes fazer ou não fazer 'e igual ao litro' :-) bjo**

    http://makeupblah.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!