segunda-feira, 10 de outubro de 2011

If only

Hoje ao almoço as minhas fieis amigas, já se preparavam para dar inicio às hostilidades: entenda-se, começarem NOVAMENTE a tratar dos seus arranjinhos e blind dates....


Quando lhes disse: "não é a cabeça que manda em nós. É o coração." E é verdade.... se eu mandasse, já teria esquecido o outro animal, com o qual não consegui ainda falar pois cheira-me que se abalou de Portugal sorrateiramente, com bilhete só de ida, antecipando a viagem... mas depois confirmo-vos....

Se eu mandasse no coração,  iria certamente comandar de forma Hitleriana que se apaixonasse por um dos meus fieis amigos, cujo amor platonico, finjo desconhecer.... Mas esses SIM, mereciam que eu me apaixonasse! Os que estão sempre disponiveis, ainda que às 8h da manhã, para não e tão somente me encontrar um osteopata de serviço, como para me levar à porta!
Os que se levantam às 7h da manha de sabado e domingo para me fazer companhia a surfar, ainda que se tivessem acabado de deitar 3h antes.
Os que me enviam sms's a perguntar se estou bem, se estou melhor, se quero companhia, ajuda, se preciso de alguma coisa...e aind ame conseguem tratar por "borracho/princesa/linda/maravilhosa/sexy girl" e afins, mesmo olhando para a minha boca cortada por uma prancha de surf, toda inchada e roxa....

Se o coração pudesse ser subjugado pela mente, o mundo das emocões faria muito mais sentido e acima de tudo seria muito mais justo para todos! Gostavamos de que gostava de nós, e estaria dsiponivel para o fazer, mas acima de tudo.... todos escolheriamos estar com quem nos merece, quem nos aprecia e quem, cujo mundo, gira à nossa volta...

Se a mente for Rainha, dona e senhora de nós...do nosso infel coração

1 comentário:

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!