quarta-feira, 23 de maio de 2012

Clap Clap Clap

Cheguei agora de uma primeira entrevista...numa dessas empresas de recrutamento/head hunters.

É a segunda onde estou inscrita e a diferença de tratamento e informação é gigantescamente diferente.

Adiante farei um post com identificação desta empresa onde estive hoje, como exemplo de profissionalismo, pragmatismo, realismo e cordialidade. GOSTEI e fiquei contente de ver que nem tudo está perdido no mundo do recrutamento em Portugal e existem bons profissionais, bons metodos e sobretudo pessoas a falar com pessoas com respeito e humanidade.

Numa outra empresa de renome no mercado, cujo nome não irei revelar, imperaram estratagemas de natureza psicologica desnecessarios, questões encapuçadas, e pouco interesse nas expectativas do candidato. O foco está unicamente nas necessidades das empresas.

É obvio que o cliente destas empresas, são outras empresas e não o capital humano que aqui se comercializa, contudo, uma empresa feliz é uma empresa fiel e uma empresa fiel é uma equipa de pessoas cujas expectativas não foram defraudadas.

Em Portugal existe uma ideia MUITO - eu diria até TOTALMENTE- errada de que o processo de recrutamento é unilateral, ou seja, o poder está nas empresas...e esquecem-se que é uma estrada de duas vias em que o interesse da empresa tem de ir de encontro às expectativas dos candidatos e vice versa....
Ainda me lembro dos tempos em que recusei posições para as quais havia sido seleccionada,s porque a informação transmitia na entrevista não foi de encontro às minhas expectativas...e lembro melhor ainda, de ter sido destratada telefonicamente uma ou duas vezes quando disse: obrigada, mas não.

Há aqui uma premissa negligenciada...que talvez na conjuntura de hoje pareça não fazer muito sentido ou ter muito peso, mas numa economia salutar, o capital humano,tem tanto poder de decisão quanto as entidades empregadoras. E tem poder negocial.

Hoje, e em primeiro lugar, fiquei absolutamente euforica por respeitarem o meu tempo. Existem ainda animais, que gostam de testar os limites da paciencia dos candidatos, fazendo-os esperar para ver a reacção, esquecendo que o tempo de quem vai a uma entrevista, tem tanto ou mais valor que o deles... e sobretudo esquecendo que na verdade não estão unicamente a usurpar o tempo do candidado mas da actual entidade empregadora.

Por isso, e por hoje fiquei muitissimo bem impressionada com o profissionalismo de UMA empresa em particular e atesto, nesta primeira fase, o facto de serem lideres de mercado.
BRAVO

2 comentários:

  1. Ui!! Olha que inicialmente julguei que fosse ironia, mas depois percebi que é mesmo a sério... Head hunters, mesmo, ainda não conheço uma dessas que seja decente... mas... conta-me tu =) agora fiquei aqui a pensar numa mão cheia delas, venha o Diabo e escolha! =/
    Boa sorte!! =) Que tudo corra pelo melhor, hein? *

    ResponderEliminar
  2. Juro que é verdade ANN! E juro que soon enough te direi o nome para que te inscrevas! Vale a pena!

    ResponderEliminar

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!