quarta-feira, 14 de novembro de 2012

das coisinhas más

Gosto mesmo de dias frios e solarengos de inverno! Gosto! São uma obra universal!

Digo isto porque o Sexo e a Localidade não pode ser só criticas negativas!
Portanto agora posso passar ao post verdadeiro que hoje é sobre o rancor.

Ultrapassa-me como é mentalmente e emocionalmente é possível guardar rancor.... ou eu sofro de amnésia ou o resto do mundo não come queijo... não sei.

Eu sou do género de ferver em pouca agua...aliás em determinados assuntos, como a injustiça nem preciso de agua pra ferver...entro em ebulição a seco... MAS... passado pouco tempo, arrefece a caldeira e "já passou".... e algum tempo depois nem me recordo do que se passou.
Eu sou capaz de ter problema de memoria...é uma possibilidade....porque para me lembrar das desventuras do liceu por exemplo, tenho de recorrer à memoria da minha melhor amiga dessa época. Ela sim, sabe quem me fez 30 por uma linha, quem dormiu com os meus namorados e quem me apunhalou pelas costas.... O meu cérebro propriamente dito funciona por sensações, isto é, eu sei que não gostava de tal pessoa na altura, mas nem me recordo o que se passou nem consigo sentir nada de negativo....porque afinal de contas vamos evoluindo...e a grande maioria de nós já não tomaria as mesmas decisões. O meu problema é que eu também não me recordo das coisas boas ... já não me lembro de metade dos namoros nem namorados, nem dos bilhetes de amor, paixões assolapadas, correspondidas ou não.... e isso sim, traz-me alguma tristeza.... seja como for.... isto para dizer que me faz espécie aquelas pessoas que dias, semanas e meses e anos depois continuam a odiar, a guardar rancor e a exibir desprezo...

Um dia destes um amigo, veio, MAIS UMA VEZ, dizer que encontrou fulana tal que há uns largos meses não quis a ajuda dele (e que ele tentou forçar repetidamente!) e agora continuava nos maus lençois de sempre...e eu pensava para comigo: "Really?!?!?!? AINDA ESTE ASSUNTO?!?!?"

Este mesmo amigo que é o meu bode de hoje, em enumeras ocasiões já demonstrou guardar todo o tipo de ressentimentos e magoas e ficar ali....emocionalmente a banhar-se nelas como uma massagem má para o ego que nunca se deixa terminar, seja por masoquismo ou por não saber lidar com outro tipo de sentimento...

Como aquelas mulheres que conheço que depois do divorcio, anos depois, continuam miseraveis, infelizes a desejar mal ao ex marido á nova namorada à vida que levam....
Uma coisa é tristeza por se sentirem traídas, desrespeitadas, mal amadas ou qualquer outro lugar comum, outra coisa MUITO diferente é desejar o mal a alguem....
Mais do que uma caganeira momentânea nunca na vida ia desejar que acontecesse alguma coisa de mal a outro ser humano para que me sentisse vingada de alguma outra coisa.... género olho por olho dente por dente...

Enfim... hoje é disto que não gosto...e sinceramente, duvido sempre do caracter das pessoas rancorosas... acho que na verdade não são tão boas pessoas assim...independente da historia de vida trágica por de trás do rancor que a meu ver... nunca é sequer significativa... e 90% tem a ver com a rejeição... não sabemos ser rejeitados...eu também não sei... mas quando acontece...pronto...há que seguir em frente...afinal não podemos ser aceites por todos em todas as circunstancias em todos os momentos e todos nós já fomos rejeitados... mas porquê protelar esse sentimento?! Porque não simplesmente.... libertar a mente e o coração de coisas negativas? O que ganhamos em sentir ódio, rancor, raiva? Nada...absolutamente nada...

Conclusão e moral da historia, não compreendo pessoas assim e prefiro distancia...trato-as como trato o telejornal e os filmes de terror...como coisas negativas cujo poder de não entrarem na minha vida, reside nas minhas mãos...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!