segunda-feira, 22 de julho de 2013

Acerca das amizades...

Um dia destes notei que uma colega de trabalho (de outro emprego) que se auto intitulava minha amiga porque tomávamos volta e meia café... não me fala...porque.... atenção: mudei de emprego e nunca mais lhe disse nada...eu questiono-me se as pessoas têm noção do ridiculo...

Primeiro não somos nem nunca fomos amigas.... mas mais importante que isto é que eu tenho amigas  de decadas que não vejo há outras tantas decadas e quando nos falamos, tenha passado 1 dia, 1 mes ou 1 ano desde o ultimo sms, telefonema ou encontro... é como se nada se tivesse passado e eu confesso que tneho dificulade em compreender outro formato de amizade que não seja assim.

Eu não devo nada a ninguem, nem sequer à minha familia QUANTO MAIS aos meus amigos...amigos são isso mesmo...amigos, nem mais nem menos... se a amizade requeresse manutenção seria igual a uma relação amorosa, sem a parte do sexo e nesse caso perguntar-me-ia, WHAT THE FUCK IS THE FUN IN THAT?!

Faz-se grande alarido acerca da amizade...amizade é um gostar especial um encontro de afinidades e um prazer de partilhar algo com aquele ser...NADA MAIS, NADA MENOS... não há devereis nem direitos porque não há qualquer tipo de propriedade, territorialidade ou sequer influencia contra vontade e caso haja, não é amizade é algo doentio...o que não me espanta...esta senhra é a mesma que diariamente impoe ultimatos aos seus namorados... as coisas na vida dela têm de ser "bu the book" , só que um livro escrito por ela, nem sequer com co-autoria de quem partilha a vida dela...
Sim, é uma pessoa interessante para tomar um café, mas nada mais.
Pessoas com EGOS maiores que eles proprios não interessam nem ao menino Jesus...quer dizer...a ele taçvez...aquela coisa toda do rebano etc... mas aqui entre nós comuns mortais...COBRANÇAS  são sinonimo de gente pouco evoluida, egoista e com agenda propria, sempre a ver se sacam qualquer coisa do outros...

Os meus amigos, TODOS eles e eu considero pessoas que eu nem nunca vi e vivem do outro lado de um monitor, amigos, são LIVRES, e eu sou livre. Não cobro e ODEIO ser cobrada. não justifico nem suporto justificações. Os meus amigos existem em paralelo com a rotina do dia a dia...quando podemos ve-los e ouvi-los optimos, quando não..optimo na mesma...a vida passa e é demasiado curta para nos preocuparmos em contabilizar contactos e quem ficou de ligar a quem... devemos estar ou entrar em contato com os nossos amigos, quando temos tempo e queremos...  e nem por isso eles ocupam menos espaço no meu coração.

terça-feira, 16 de julho de 2013

O regresso ao passado.... MUTE

Volta e meia... regresso ao passado...

Hoje o meu Mr Big fez anos... não tenho aqui feito updates, mas resumidamente...após o divorcio e pelo bem dos filhos... pois que estão a tentar novamente recomeçar...e ele porque é um Homem admiravel... faz aquilo que se espera dele...assume que é o correcto, até porque o convenceram a ele de que ele tem uma divida muito grande para saldar... ahhhh a culpa catolica... uma mal planetário... portanto é isto....

E há uns dias a esta parte tenho sonhado com ele não sei porquê.... e hoje pela ocasião do seu aniversário e porque habitualmente trocamos algum presente cheio de significado... lembrei-me que deveria ter fotos dele antigas com os amigos...e lá fui eu abrir...a caixa de Pandora...

Não sei se pelo rumo que optei por seguir ultimamente, se por algum outro factor mais cientifico ou de natureza hormonal.... no trilho das fotos, reli todas as cartas...as dezenas de milhar de palavras trocadas aos longos dos anos e das tentativas.... Quando cheguei à ultima carta que me escreveu...foi como se eu tivesse a sentir tudo aquilo que ele sentiu ao escreve-la...a tristeza, o desespero...o amor.... e ainda não contive as lagrimas, já lá vão umas horas....

E a real conclusão a que chego, é que, sempre que alguem está no limbo entre a sanidade e a loucura... o outro entra em cena e resgata-o... ele resgatou-me da minha relação abusiva e violeta há uns 12/13 anos atrás e eu voltei a retribuir o favor há 2 anos, resgatando-o a ele da fase mais negra da sua vida...em que o suicidio era a ideia do dia.... isto tudo porque na verdade, o Amor que vivemos antes das vidas serem complicadas e de haver tanta bagagem, moldou-nos. Moldou-nos um ao outro...somos as pessoas que somos hoje, porque crescemos enquanto estavamos juntos, no inicio da nossa vida adulta...e aqueles primeiros 3 anos antes dos resgates e da loucura da vida baralhar as coisas...foram perfeitos...como ele me escreveu e eu a ele vezes em conta..." somos um do outro porque nascemos um para o outro".... talvez seja isto que chamem amor incondicional... e quem me conhece na vida real nem acredita que estas palavras sejam o resultado intencional... nunca na minha vida adulta alguem me ouvui dizer ou escrever algo tão ingeno ou incredulo...MAS naquele momento da minha história...foi real...talvez o seja até hoje, não estou certa...

E talvez seja por isso que por mais perfeitos que sejam os homens da minha vida, sofrem inevitavelmente todos do mesmo mal...não são o meu Mr Big.... e na verdade já amei outros homens e já fui amada, muito...mas NUNCA admirei ninguem como o admiro a ele, essa é a principal diferença... olho-o, relembro-o e compreendo que há nele algo que não existe em nenhum outro... percebo que existe nele uma honra, uma verdade que não encontrei em mais ninguem... há naquele cerebro e naquele coração uma caracteristica indefinivel extraordinaria, que o torna singular aos meus olhos e inigualavel... e até hoje... é ao lado dele que eu me sinto privilegiada...e ele será sempre o Homem mais integro, nobre, inteligente e inteligivel que conheço. Será sempre o mais admiravel, o mais complexo e o mais carismatico.

E por isto tudo...e por saber que ele está novamente a tentar encontrar uma paz ao seu redor... que eu me remeto ao silencio para não perturbar esse fragil equilibrio ...mas haverá um dia em que ele terá de ser confrontado com a forma como eu o vejo, mais que não seja para saber o seu real valor e não se convencer do "preço" que o resto do mundo e sobretudo ele proprio pensa ter...

Porque acima de tudo desejo-o bem, feliz...mas tambem o conheço bem, muito bem e sei distinguir quando ele É feliz e quando está convencido de que pode estar feliz...

Lovelly, but not for me!

Lovelly, but not for me!